22.5.08

A Bandeira Azul

A poucos dias da abertura oficial da época balnear 2008 a comunicação social revelou as praias e marinas galardoadas com a bandeira azul. Entre as eleitas figuram três praias do concelho de Odemira: Zambujeira do Mar; Carvalhal e as Furnas em Milfontes.

Ao longo dos últimos anos os responsáveis autárquicos não submetiam as praias do concelho a esta seriação, por alegadamente discordarem dos critérios de apuramento, já que a atribuição deste galardão impõe que as praias e marinas cumpram um conjunto de requisitos que contemplam a qualidade ambiental, a segurança e bem-estar, a existência de infra-estruturas de apoio, informação aos utentes e a promoção da sensibilização ambiental.

Foi mesmo uma mera teimosia justificada por não existir rigor nos critérios de análise das águas que se baseiam no ano anterior à atribuição do prémio ou as praias não cumpriam os requisitos exigidos?

Sabemos que a ostentação das bandeiras azuis é uma mais-valia para o turismo da região, será então que a autarquia não afastou investidores e turistas, desprestigiando as praias do concelho com este boicote à Bandeira Azul?

A opinião pública é implacável e devastadora e quando as praias deixam de ostentar a bandeira azul, levantam-se suspeitas que normalmente prejudicam o turismo, o comércio e contaminam os “ares” e a fama da região.

12 comentários:

Anónimo disse...

Para fomentar o turismo de massas nas praias de São Teotónio nada como por os autores deste blog a banhos. Corpos esculturais e reluzentes, cheiro a bronzeadores, e muito sex appeal. Mostrem-se, e o Agarve sobe a latitude para o novo "ALLentejo". Tenho saudades da loirinha na sua toalha amarela XL... Até os lobisomens vem à Zambujeira do Mar só para a verem...
Venha lá essa bandeira.
espero-vos junto ao mastro.

M.P. de Vasconcelos Brito da Cunha

Anónimo disse...

Caro Senhor

As praias de S. Teotónio e de toda a Costa Alentejana não são em nada inferiores às do Algarve, tal como toda a paisagem circundante, lamentável tanto o Alentejo Litoral como interior tenha sido o parente pobre dos governos de Portugal ao longo dos séculos.
Theotónio

Loura Platinada disse...

Caro M.P.

Suspeito que o Hipnos e o Repórter vão ficar perturbados com o seu comentário. :)))

A única rapariga no "elenco" deste blogue sou eu, para além da Marianne que contribui esporádicamente com algum material, mas não quer ser referenciada como "colaboradora".

Resta-me agradecer em nome de todos, ainda bem que aprecia a nossa beleza!

Anónimo disse...

Theotónio
Estás amargo por isso deixaste o teu comentário na "Incúria no Asfalto", lá ninguém já o vê, as ruas estão lindas com os laguinhos cheios de água, a Senhora D. Mirrósa mete-lhe lá uns peixes vermelhos nas suas fantasias românticas e vais ver se não aparece aì um comentário que faz vir a S. Teotónio um turismo todo jetset.
Ainda vem cá a Lili Caneças.
Jonas

Manuel R. Pereira disse...

Parabéns pela postagem!
Muito incisiva!

São realmente atitudes suspeitas, que prejudicam o nosso turismo e o prestígio da região. Curioso que os odmirenses (eleitores ou não eleitores deste elenco) assistam impávidos e serenos, e não questionem estas e outras decisões dos responsáveis autárquicos.

Aproveito para sugerir uma postagem dedicada à lentidão dos serviços camarários, da apreciação de projectos e a ausência de arquitectos muito em particular do chefe que parece nunca lá estar ou nunca lá querer estar, nem ao telefone nem pessoalmente!

Anónimo disse...

Senhor Jonas
Obrigada por me referir no seu comentário.
Neste caso, se tivesse oito anos denominaria S. Teotónio de "Região dos Pequenos Lagos" e meter-lhes-ia barquinhos de papel onde embarcaria os Governantes locais, Vereadores e o JetSet da Comunicação Social para fazer a reportagem da miséria das ruas da maior freguesia da Europa.
Mais nos valia terem deixado a calçada antiga pois era bem mais bonita.
Mirrósa meu caro Senhor, lamenta sermos tão mal amados pelos nossos governantes e só pode dizer: Pobre S. Teotónio!
Venha de lá D. Afonso Henriques.

Anónimo disse...

Odemira amará S. Teotónio alguma vez?
Rita

Anónimo disse...

Ritinha
S.Teotónio tem gente na Câmara, não terão amor à sua terra?
Não seja tão péssimista?
André

Anónimo disse...

D. Mirrosa

Um Afonso Henriques é muito pouco, venha uma Padeira de Aljobarrota...
Rui

Anónimo disse...

Senhores Presidentes

Se um idoso ou um doente tropeça nas covas, nos altos, baixos e pedras soltas do Largo que dá acesso ao Centro de Saúde e parte uma perna ou mesmo a coluna vertebral como resolvem o caso?
Esperemos que alguém divino nos salve.
Theotónio

Anónimo disse...

Vim espreitar o blogue, vi um visitante do Porto a pesquisar o artigo dedicado a Catarina Furtado e João Reis, ´vi ontem a mãe deste senhor, senti uma mágoa imensa, como deve sofrer esta pobre Senhora, Senhor João Reis faça algo pela sua mãe e será a peça mais bela que interpretará em toda a sua vida.
Joana

Anónimo disse...

Estou de acordo com a Joana, essa seria a maior intrepertação desse homem adolado pelos portugueses.
Dá pena ver essa pobre mãe, tal como dá pena ver tantos outros pais sem o carinho dos filhos.
Que farão os netos destes avós a seus pais?
Pais já pararam para reflectir no resultado do mau exemplo que estão a dar a vossos filhos?
Mara