6.1.09

Brindes do Bolo Rei

Em Portugal comemora-se o dia de Reis com alguma parcimónia, beberrica-se um licor e comem-se as sobras dos bolos e dos bombons; procura-se o brinde no Bolo-rei.

Há quem arranje fôlego para cantar as janeiras ou organizar uma festa familiar, contudo nada pode ser comparável à nossa vizinha Espanha onde “Los Reyes” são vividos intensamente.


Em São Teotónio nunca existiu a tradição de enfeitar o espaço público nesta quadra, contudo ao longo dos últimos anos as ruas têm sido singelamente decoradas, com umas iluminações muito simples, que mal chegam a despertar o espírito de Natal nos transeuntes.

Umas estrelas, uns pinheiros e uns cordões luminosos são alguns dos escassos enfeites que brilham no natal da vila.

Por ser dia de Reis, espera-se que as decorações e iluminações natalícias sejam retiradas em breve das ruas. Como felizmente há pessoas em São Teotónio que “nã dromem” foram executadas algumas decorações de Natal particulares que animaram a vila, ao longo destes dias.

Entre vários particulares que tiveram a simpatia de quebrar o frio das noites com animados e coloridos enfeites houve alguns que se excederam, pela ousadia, pela criatividade ou pela profusão de luzes.

Em dia de provar do bolo-rei calha a fava para a iluminação pública e os brindes para as decorações do Sr. Machado na sucata e dos manos Luz na oficina da rua 25 de Abril.

Esperemos que no próximo ano calhe também um brinde à iluminação pública!

30 comentários:

Anónimo disse...

Alguém ama S. Teotónio a ponto de dizer eu fazer de S. Teotónio uma vila linda, arranjar as ruas, espaços verdes, iluminação, promover todos os seus potenciais?
Meus caros bloguistas, no próximo ano tudo vai ser igual.
Porque a S.Teotónio falta-lhe filhos bairristas.
Theotónio

Anónimo disse...

gostei dos vossos brindes e concordo com a fava, pk a iluminação pública em s. teotonio é muito pobre

Anónimo disse...

A iluminação de natal é fraquinha, podiam fazer como nos mastros, decorarem as ruas com muitos enfeites, aí é que s. teotonio ficava famoso e as lojas lucravam bastante.

José Miguel Guerreiro

Anónimo disse...

Nunca tinha lido este blog, mas tá muito interessante. Uma pessoa me aconselhou a ler.
Força a todos, pertenço a Freguesia de S.teotonio e concordo com alguns post.
Um conselho, em vez de criticarmos sempre tudo e todos, vamos nós tambem dar uma ajudinha para que a nossa terra, seja uma atracçaõ de forma atrair mais pessoas a freguesia. De certeza todos nós ficariamos a Ganhar.
E quanto ao assunto da paroquia, o Sr.Padre Abilio, tem feito algumas coisas interessantes, mas concordo plenamente, com um comentário de um jovem que li. a juventude faz alguma coisa é logo criticada e quem fica com os louros sao as beatas.
Já não há pachorra para aturar aquelas senhoras, por isso tanta gente se afasta da Igreja.
Até breve.

Anónimo disse...

Estou plenamente de acordo com o seu comentário, só continuo a frequentar a Igreja porque tenho fé, ao contrário há muito não punha lá os pés.
Rosa

Anónimo disse...

Não sou de S.Teotónio, tenho aí um amigo que me aconselhou o blogue visito-o muitas vezes leio os comentários como ainda não conheço a terra não sei se são oportunos ou não, estes da Igreja estou plenamente de acordo com eles, porque esta instituição é igual em todos os lados as beatas muitas vezes são católicas ou de outras religiões para ganhar estatuto, mas os padres também têm culpa da forma como elas tratam aqueles de quem têm inveja...
Cuidado porque há grandes injustiças e ingratidões.

Anónimo disse...

Falando com a D. Vitória da Alagoa, mãe da D. Bia Sequita, disse-lhe estar com receio da subida dos preços a que assistiamos na altura ela inteligentemente respondeu: "na subida todos se aguentam o pior é na descida".
Será que tinha razão?
Theotónio

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Hipnos disse...

Convidamos os leitores a contribuir para que este blogue seja um espaço credível, agradável e até divertido, onde seja possível discutir os problemas e divulgar notícias relevantes da nossa terra.

Não queremos fazer o papel de censuradores, perdoem-nos mas lamentavelmente alguns comentários colocados por leitores nas últimas 24 horas eram ofensivos e não se compatibilizavam com os objectivos deste blogue.

Por favor comentem, denunciem e discutam aquilo que realmente merece ser comentado, discutido e denunciado!

Obrigado.

Anónimo disse...

CAROS BLOGISTAS: em primeiro lugar parabéns pelo V trabalho, é a 1ª vez que me interesso por um blogue! Vivo em lx e de alguns anos para cá, tenho casa em S. Teotónio, que considero como a minha terra adoptiva. Relativamente às iluminações de Natal não fiquem tristes: a electricidade que usamos, como qualquer energia não reciclável é um bem precioso, é mais necessária para nos iluminar (!). Do mesmo modo, conscencializem-se que os jardins de relva são a pior espécie de moda (porque esgotam as reservas de àgua), completamente inapropriados, fora da tradição e também das necessidades das populações. O Sr Presidente da Junta ainda não percebeu onde deve poupar e onde deve gastar, talvez o caminho sensato fosse pedir conselho às senhoras que dão o seu melhor por todas as freguesiasdo Concelho, e quanto mais velhas mais saberão!
Obrigados
Maria e Manel

Anónimo disse...

Esta arvore de Natal parece um Monte de M...
Para o ano é melhor pedir á Escola para fazer uma que as crainças são mais sensíveis

Anónimo disse...

Vim visitar o blogue e fiquei deveras chocado com o seu comentário, não soube certamente interpretar o sentido da árvore de Natal dos irmãos Luz.
Numa época em que se pede para reciclicar e proteger a natureza, não cortaram um pinheiro, aproveitaram a sucata com ela fizeram a árvore e enfeitaram-na com as ferramentas, ferramentas com que trabalham honestamente.
É feio usar este meio para rebaixar uns rapazes que dão a todos os jovens uma óptima lição de vida.
Jonas

Hipnos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hipnos disse...

Caros Comentadores

Agradecemos os vossos comentários, alguns com alguma acutilância, outros mais azedos!

Maria e Manel concordamos convosco, mas as alternativas sustentáveis /amigas do ambiente já seriam suficientes para animar a época natalícia.

Quanto à relva... talvez venhamos a abordar esse tema fazendo a apologia do escalracho :) agradecemos a dica! Embora neste concelho os agricultores sejam obrigados a deitar água foram por causa das taxas e sobre-taxas impostas pelas Associação de Regantes (ABM) assim até deixamos aqui a sugestão para a usarem quiça em relvados tratados com toneladas de químicos, pois aqui o Parque Natural também não controla essas coisas.

Existem planos que limitam a construção civil, impedindo por vezes a construção em determinadas áreas mas em contrapartida pode-se envenenar os solos e os lençois freáticos com todo o tipo de substâncias pestilentas - herbicidas / pesticidas / Adubos...

Quanto ao monte de ... discordamos evidentemente, mas este espaço é mesmo para debater ideias, apresentamos porém as razões que nos levaram a premiá-lo com um brinde:

A árvore de Natal dos irmãos Luz, é um exercício criativo, onde foi criado um cone em pneus, coroado com uma estrela e envolto com uma rede onde foram aplicadas ferramentas.

Demonstra criatividade, sensibilidade, fomenta a reciclagem e apela para novas formas de entender o mundo.

Pode até ser traduzida numa crítica ao consumismo exagerado da época.

Em suma é seguramente uma demonstração de sensibilidade - alguém com uma oficina, agarrou em peças e ferramentas que usa no seu trabalho, criou uma árvore de Natal e exibiu-a ao mundo, aquecendo a noite fria e dizendo que não é necessário máscaras de luxo para celebrar o nascimento de um Rei que nasceu pobre em Belém!

Anónimo disse...

Fico chocado com a falta de respeito como se fala do outro, há atitudes, trabalhos com os quais não concordo, mas se as comento não excedo as regras da má educação, é muito feio a forma como o comentador comenta a Árvore de Natal dos manos Luz, continuem meus amigos a dar às gentes jovens a vossa nobre lição de vida.
Theotónio

Anónimo disse...

Por falar em relva,a da Escola Primária era regada quando chovia!
Era uma alegria ver a água correr...
Não é por nada mas o Presidente da Junta vive na mesma rua.Ou já não?

Fernando disse...

Lembrei-me a vir especcionar este blog que parece deveras interessante, até que encontrei um comentário um pouco impróprio, porque antes demais nada, se as crianças são sensiveis a árvores de natal criativas, serão também de certeza mais sensiveis a palavras menos próprias. Pelo bem das pessoas que tiveram o trabalho árduo de construir esta árvore, agradecia que a pessoa "anónima" se identifica-se e se ainda tiver um pouco de dignidade, que peça desculpa pelo que escreveu.
Em nome da Juventude atenta.
Fernando Eliziário.