2.10.07

Fim de Verão



O final de Setembro marca o encerramento da época balnear e a chegada do tempo outonal que desde há muito se fazia anunciar… Ainda na Primavera os meios de comunicação social teciam cenários apocalípticos para o verão 2007, prevendo temperaturas elevadas, vagas de calor e incêndios incontáveis e inextinguíveis. Tal como foi previsto o verão foi realmente atípico, mas a previsões falharam… as temperaturas frescas, as chuvas e as tempestades comprometeram as férias de muitos veraneantes e prejudicaram o sector turístico, tendo em contrapartida impedido a habitual devastação incendiária que ocorre nesta época.
Agora que o Outono se instalou definitivamente resta-nos esperar que o tempo frio seja igualmente atípico com temperaturas amenas, sol radioso, céu limpo e pouca chuva!

6 comentários:

Anónimo disse...

The end, Fim
O vosso artigo lembra uma inscrição que li algures num relógio de sol:"eu sou a sombra que passa, a sombra também és tu, eu guardo o tempo e tu?"
Lamentável que deixemos o tempo passar, sem que realizemos algo marcante ou até simples tarefas, muitas vezes porque nos dizemos ainda tenho tempo, porém ele é veloz e quando demos pela sua passagem é tarde.
Quantos não perderam de gozar um bom dia de sol aqui neste alentejo tão lindo, porque ficaram letárgicamente agarrados a val de lençõis, e quando deram pelas férias... chovia!
O Jonas

O Repórter está atento! disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O Repórter está atento! disse...

Amigo Jonas


Parece-me que andas a abusar do medronho... e depois vens curtir as tosgas aqui para o blog!

Anónimo disse...

Caro Amigo
O Jonas não bebe medronho ou qualquer outra bebida, o único vicio que tem é: ficar atento ao blogue, divagar pelas ruas e meditar no que se passa nesta terra abençoada cujos «papás » fazem de uns filhos e de outros enteados.
Se ainda não viste abre os olhos.
Jonas

Anónimo disse...

Caro Jonas
Há tempo um cientista alemão disse: " o tempo não existe, existem os agoras", a vida é um "agora" mas muito rápido, o tempo ultrapassa-nos de tal forma que se não vivermos os nossos "agoras," no limite da vida diremos: não vivi...
Sou tão velho quanto a Nacionalidade, vivi rápidamente o passado,e o presente.
Terei futuro?
Que o repórter atento se interrogue e viva alegremente todos os "agoras" da sua vida, que espero seja muito longa.
Theotónio

Anónimo disse...

"The End"
Embora o seu artigo se relacione com o fim do Ver�o, a palavra "Fim" transporta-nos a muitas situa�es, umas de final feliz, outras um pouco tr�gicas, fim dum grande romance de amor, fim duma vida, � do local para se levam os restos daqueles que nos deixaram em tr�gico final de vida que quero falar neste pequeno coment�rio, Senhor Presidente e Vice Presidente est�o de parab�ns o cemit�rio est� um local digno dos nossos entes- queridos, neste aspecto merecem o meu voto.
Theot�nio