28.10.07

Catarina Furtado & João Reis


O público-alvo da imprensa cor-de-rosa costuma desfolhar as revistas esperando encontrar intrigas picantes, coscuvilhices e os podres de gente famosa ou elitista. Entre as personalidades mais exploradas por este tipo de publicações encontramos a apresentadora Catarina Furtado, a sua família e mais recentemente o seu marido, o actor João Reis. À semelhança de outros tempos, ao longo das últimas semanas essas revistas têm dedicado vários artigos à apresentadora Catarina Furtado e à sua vida privada.

Nada disso pareceria estranho, porém a reportagem recentemente publicada pela revista "Tv Sete Dias" expõe alguns pormenores da vida familiar deste casal, nomeadamente a existência de um elo de ligação à nossa vilazinha. Não fosse São Teotónio o cenário deste enredo e esta não seria certamente uma temática digna de registo neste blogue. A reportagem revela-nos que a mãe, a irmã e os sobrinhos do actor João Reis residem actualmente em São Teotónio, numa casa situada na rua Dr. Jaurés Delgadinho e que subsistem com grandes dificuldades económicas. Estando a irmã desempregada e sendo a mãe reformada, todos dependem do cunhado que trabalha como taxista em Lisboa.

A reportagem procura esmiuçar o tema com o intuito de encontrar pormenores sórdidos, dívidas e relações conflituosas entre a família do actor João Reis e os senhorios, os comerciantes e as gentes da vila. Ao longo do artigo é também revelado que o actor João Reis não mantém o contacto com a sua família e nem a auxilia monetariamente.

Não pretendemos transcrever esta reportagem, mas importa aqui lembrar a sordidez deste tipo de publicações que exploram as vulnerabilidades e enlameiam a vida privada e a carreira de todos aqueles que são susceptíveis de aparecer nas suas páginas. A intimidade da família do actor João Reis, ele próprio e a apresentadora Catarina Furtado foram humilhados e enxovalhados. Por outro lado, São Teotónio foi relatado como um insignificante lugarejo, onde os seus habitantes foram apresentados sem direito a apelido ou qualquer tipo de deferência.

É certo que existe uma diferença abissal entre a vida deste casal e o simples quotidiano das gentes de São Teotónio, e que o bairro do Restelo e a moradia luxuosa onde reside a apresentadora e actriz Catarina Furtado em nada se compara à pequena casa alugada pela família do marido, são mundos distintos, que raramente se tocam!

Não sabemos as causas da desarmonia familiar, nem sabemos sequer se a situação deste agregado familiar foi correctamente retratada por esta publicação. Sabemos porém que esta família vive na nossa vila e que possivelmente está atravessar uma fase conturbada e penosa. Numa época em que tanto se fala da pobreza em Portugal, parece-nos apropriado lembrar que a par desta família muitas outras vivem dificuldades económicas.

Existindo em São Teotónio tanta gente altruísta e solidária, lançamos aqui um desafio, pedindo auxílio a todos aqueles que se preocupam com o próximo! Cremos que é possível criar uma estratégia sustentada que resolva as necessidades mais prementes ou imediatas destas pessoas e lance as bases para que estas possam ser autónomas, oferecendo-lhes trabalho ou oportunidades de escolarização e profissionalização, cujo o objectivo contemple a independência e autonomia e não fomente habitual dependência da caridade!
Será possível erradicar a pobreza de São Teotónio?
Esperamos que alguém sussurre esta mensagem a quem manda!
(Imagem extraída da edição n.º 1075 da revista "Tv Sete Dias".)

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro Bloguista

A TV7 dias,deveria tratar o Senhor Álvaro e o João da Allisuper com um pouco mais de respeito este o Álvaro, o Jóão, não fica bem...
E já agora sugiro a TV7 dias e mesmo o Caro Bloguista deviam fazer uma reportagem sobre o Senhor Álvaro esses sim são exemplos que se devem apresentar ao mundo, um homem honesto, digno, trabalhador, um homem com H muito grande.
Jonas

Luis Monteiro disse...

Pois é Lourinha... pela ausência de comentários neste post... parece-me que a solidariedade é coisa que as pessoas desconhecem! Já ninguém está para se incomodar com os problemas do vizinho!

Anónimo disse...

Faz doer o coração o olhar triste da mãe do Senhor João Reis e sogra da D. Catarina Furtado quando divaga pelas ruas de S.Teotónio, com a neta pela mão, por Deus tenham dó desta pobre mãe, ontem vi-a sentada num banco da censura, senti uma enorme mágoa, não há direito que se façam coisas destas a uma mãe e a duas inocentes crianças.
Jonas